Brava Gente Brasileira

Genealogia no Brasil   |   bravagentebrasileira.genea@gmail.com

Mapa do Site: navegação

Foto da família em toalhas!

Tenha um jogo de toalhas totalmente personalizado com a foto da sua família!   Você pode mandar imprimir  uma foto da família recente e/ou de seus ancestrais. Pode ter uma toalha com a foto de cada um de casa. O que você quiser!  Enxugarte

12 razões para genealogizar

  1. Validar  histórias de família — determinar se as histórias de família sobre os seus ancestrais são verdadeiras.
  2. Compreender um fato da História  — obter melhor compreensão do envolvimento de um ancestral em um fato histórico.
  3. Explorar a contribuição das famílias à construção do País — pesquisar a resiliência das famílias que sobreviveram às vicissitudes de guerra, imigração, pobreza ou escravidão; estudar o sucesso na integração além das fronteiras raciais ou nacionais; investigar conquistas empreendedoras: comerciais, agrícolas, educacionais, industriais etc.
                                                    Leia mais 

Aviso Importante

Os editores deste website não fazem pesquisa genealógica para terceiros. Mas têm muito prazer em compartilhar o que aprenderam ao longo de suas pesquisas dentro e fora da Internet. Daí a razão deste site!



Voltar a Home Page

O que é Genealogia?

Genealogia é o ramo da História que se dedica ao estudo das famílias, à sua origem, dinâmica e evolução, descrevendo a sucessão de gerações, em sentido ascendente ou descendente. Sempre que possível, o estudo traça os dados vitais e  as biografias dos seus membros. Portanto, Genealogia estuda a história das famílias.

Embora seja ciência auxiliar da História,  sua importância reside na descrição de indivíduos, independentemente de suas relevâncias.  Isso porque todos esses indivíduos construíram suas vidas inseridos na sociedade a que pertenciam e vivenciando a mentalidade de suas épocas.   


O que não é Genealogia............

Genealogia, enquanto estudo social,  não é investigação genética, não é ensaio de proselitismo religioso, não é descrição de mitos e não é foco
de arbitragem moral. É História das Famílias... 

Saiba mais 

Álbum de Família

Compartilhe e Interaja

     

Site premiado


Oportunidade


 *   *   *   




Dicas de Ocasião

por Maria Fernanda Alves Guimarães

A quem dedico este website 

Elvira Machado Alves (1901-1975) e Anna Fonseca Guimarães, Nicota (1903-1984) — minhas avós — e Maria José Alves Machado, Yayá (1898-1985), tia-avó com efeito de avó.
A elas, que contavam as melhores histórias de todas: as da família.

Maria Carolina Alves Machado, Dindinha (1867-1957) —   minha bisavó. Eu não a conheci, mas sou-lhe grata por nos ter legado fortes laços de família ... e por todas aquelas anotações genealógicas, escritas pacientemente a lápis em letra firme que lemos muito bem até hoje,  no seu livro de orações "Horas Marianas" .

Carlos Gonçalves Machado, Tio Carlos, "Tio Carlucho" (1903- 1997) — tio-avô, com jeito de avô. Tio amoroso e enérgico, padrinho, amigo, conselheiro das horas certas e das incertas. Imenso é o vazio que sentimos! Médico brilhante, infectologista de primeira grandeza, mestre de mestres; grande pesquisador científico. Dedicou muito do seu espírito investigativo à pesquisa de nossas raízes. Com ele, aprendi:
"Confie naquilo que você descobre e aprende. E não apenas no que lhe ensiname dizem."

(A diferença é enorme!)

Afonso Alves Machado, Tio Afonso, "Tio Fonfon" (1907- 1999) —  "irmão-xerox" do Tio Carlucho. Também médico, otorrino, diagnóstico dos mais certeiros. Longas conversas madrugada adentro, causos da família, jogos de crapô (*). Grande companheiro das viagens de férias e agora sentimos sua ausência na continuação desta grande viagem. "Tio Afonso é bom companheiro"

(*) Tio Afonso me ensinou o  crapaud,  com a condição de que eu não contasse para ninguém, socialmente, que sabia esse jogo, "pois se trata de algo muito impróprio para uma menina, pois é o entretempo das senhoras dos prostíbulos". Agora, Fonfon, estou revelando isso "apenas" na grande rede.



Ana Oliveira Guimarães de Freitas, tia Anita (1904 - 1981 ) —  tia-avó, que, com sua linda letra de calígrafa, registrou em numerosas folhas de papel almaço os nascimentos e mortes do ramo dos Oliveira Guimarães... permitindo que seu trabalho chegasse até nós.

Oscar Gonçalves Machado, Tio "Óscar" (1893- 1983) —  que montava uma árvore genealógica musical no violão ou ao piano, tocando as canções preferidas de cada antepassado. Foi só agora, ao escrever e editar esse website, que descobri o peso da memória musical num histórico de família. 


José Guimarães Alves , Tio Zezé (1910-1994) — exemplo de jornalista! Texto brilhante, enxuto e claro. Quem eu vi melhor equilibrar profunda cultura e tremenda simplicidade. Com quem aprendi a honrar a "estirpe literária dos Guimarães". 

Sempre a verdade! Mesmo que seja sobre os nossos avós..." 





Francisco Gonçalves de Andrade Machado, Tio Chico (1886-1973) —
Pesquisou muito, andou por aqui em tudo quanto é lugar e em Portugal percorreu "as cidades e as serras". Contava muitas histórias. Engraçadíssimas, como a de um parente que alegava ser, no fundo, um clan leader escocês: "The" MacHado. Tio Chico, com imensa dignidade, legou-nos numa de suas simples trovinhas, a melhor das lições de Genealogia: não sermos ridículos.          

Quem pensa que é gente bem

Não tenha tanta ilusão   

E não se esqueça também 

Que todos vimos de Adão  


(F.G.A.M. in Machadadas Cordiais, 1967 - São Paulo - SP -Ed. do Autor)



Frans de Andrade Machado, tio Frans,  que sabe contar todas as venturas e desventuras da família sob uma perspectiva da história econômico-financeira: desde o Ciclo do Ouro, com seus mineradores e tropeiros, até os dias de hoje, passando por Encilhamento, por duas Guerras, Crack de 29, Desenvolvimentismo, Milagres além, é claro, dos mirabolantes e incontáveis "Planos Econômicos."

 

Se tivéssemos que depender de  

 Governo, em qualquer época, estávamos fritos!



Isabel Teresa Guimarães Alves, Bebel, minha amorosa tia que tem a  "patologia" de anotar todos os dados, informações, fatos e datas de todo mundo da família... mesmo de quem prefere não se lembrar de nada...

Faça o favor! A gente tem que arquivar tudo muito direitinho. 


e tudo, absolutamente tudo,
que a Bebel, numa ocorrência inimaginável ,
deixasse de anotar, ficaria  registrado nas privilegiadas  memórias cancerianas de :


Maria de Lourdes Senna Machado, Delu, prima e solidária amiga... Minha companheira de cantorias, de viagens, de entreter as "crionças", de lavagem de louça (ufa!) e... De pesquisas genealógicas!

Não adianta! para mim, ningém mente idade. Sei local e data de nascimento de todo mundo... 




Lívia Alves Guimarães —  minha querida Mãe.

Para  quê vocês querem colocar todos esses dados no computador?! Eu me lembro de tudo!